Follow by Email

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Câmara aprova universalização de bibliotecas em escolas públicas

 
 
A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou na quarta-feira (23) proposta que exige a instalação de bibliotecas em todas as escolas públicas de educação básica e a presença de bibliotecários com formação de nível superior nessas bibliotecas. O texto também determina que o acervo desses locais seja permanentemente atualizado e mantido em local próprio, atraente e acessível, com disponibilidade de acesso à internet.
Aprovada em caráter conclusivo, a proposta segue para análise do Senado, se não houver recurso para o Plenário.
As medidas estão previstas no substitutivo da Comissão de Educação e Cultura aos projetos de lei 3044/08, do deputado Sandes Júnior (PP-GO); e 4536/08, do ex-deputado Marcelo Almeida. O texto altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB - Lei 9.394/96). A comissão acolheu o parecer do relator, deputado Sandro Mabel (PMDB-GO), que julgou apenas a admissibilidade da proposta (não analisou o mérito).
O substitutivo também estabelece que cada sistema de ensino, de acordo com as condições disponíveis e com as características locais, terá a prerrogativa de organizar o trabalho dos bibliotecários, admitido o atendimento a mais de uma biblioteca escolar por um mesmo profissional.
Segundo o texto, os sistemas de ensino da União, dos estados e dos municípios deverão garantir capacitação específica aos bibliotecários para atuar como mediadores entre os alunos e a leitura, de modo a contribuir para a formação efetiva de leitores. A proposta define um prazo de cinco anos para implementação das medidas previstas.
Legislação atual
A Lei 12.244/10 já determina que todas as escolas públicas e privadas do País tenham, até 2020, bibliotecas com pelo menos um livro por aluno matriculado. As diferenças da lei em relação ao projeto são:
- a lei determina a instalação de bibliotecas em escolas públicas e privadas; a proposta se refere apenas a escolas públicas.
- a lei estipula prazo de dez anos para sua implementação; a proposta não cita prazo.
- as bibliotecas, segundo a lei, devem ter pelo menos um livro por aluno matriculado; a proposta não cita a quantidade de livros.
Reportagem – Tiago Miranda
Edição – Wilson Silveira

Curso Publicações Eletrônicas - ProQuest

Convido a todos a participarem do curso Carreiras em Publicação Eletrônica promovido pela ProQuest a acontecer dia 30 de novembro as 9h profissionais e alunos podem participar  o curso tem duração de 1h.
Para mais informações e inscrições, acesse: https://proquestmeetings.webex.com/proquestmeetings-pt/onstage/g.php?t=a&d=716389575

Atenciosamente,
Suênia O. Mendes
Bibliotecária/UFMA
Mestranda em Administração FEAD-MG

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Feira do Livro de São Luís 2011


A quinta edição da Feira do Livro de São Luís foi aberta pela Prefeitura da cidade, na última sexta-feira (25). A cerimônia aconteceu na Praça Maria Aragão e contou com a presença do patrono José Chagas, do teatrólogo Aldo Leite (foto) e da escritora e professora doutora do Departamento de Letras da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Sônia Almeida (foto), homenageados do Evento.
A programação contou com cerca de 300 eventos, incluindo seminários, encontros, oficinas, rodas de conversa, lançamentos e relançamentos de livros, exibição de filmes, programações especiais para o público infantil e juvenil, programação artístico-literária com performances poéticas e musicais e espetáculos teatrais.
São dez dias de intensas atividades literárias e culturais ancoradas pelo tema “Dos mirantes da memória aos becos da saudade, São Luís, revela a tua poesia”. A Feira é realizada pela Fundação Municipal de Cultura (Func) e co-realizada pelo Serviço Social do Comércio (Sesc/MA). A entrada é franca.
No espaço para comercialização de livros, cerca de 60 estandes, com estrutura adequada e ambiente climatizado, reúnem editoras, livreiros e artesãos para exposição e venda de aproximadamente 70 mil títulos e produtos regionais.
A Feira do Livro de São Luís está aberta ao púbico até 04 de dezembro, sempre das 14h às 22h. A programação completa, incluindo outras informações sobre os homenageados, fotos e mapas, pode ser visualizada no site feiradolivrodesaoluis.com.br

Fonte: http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=11840

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Palácio Cristo Rei recebe alunos do Curso de Biblioteconomia da UFMA

Na última sexta-feira,(18),o Palácio Cristo Rei recebeu quatro alunos do sexto período do curso de Biblioteconomia Bacharelado, da UFMA: Gleiciane Moreira, Érica Moraes, Marcos Santos e Maysa Araújo. A visita foi realizada com a intenção de realizar uma atividade obrigatória da disciplina Arquivística, que teria o propósito de realizar um diagnóstico dos arquivos do Memorial Cristo Rei. A disciplina é ministrada pela professora Dirlene Barros.
Clores Holanda, administradora do Palácio Cristo Rei, conduziu os alunos pelos setores, explicando qual a função e importância do serviço realizado. O acervo arquivístico e museológico estão sendo progressivamente organizados.
Os visitantes demonstraram estar satisfeitos com o atendimento e os procedimentos adotados no museu. Para Gleiciane Moreira, foi mais do que uma atividade realizada, e sim um aprendizado. “Museu é uma fonte de pesquisa. Ele é presente,passado e futuro. Não se faz uma sociedade sem o registro, e nesse sentido, o museu vem com a função de guardar estas memórias. Mas infelizmente ainda existe um desconhecimento sobre o assunto e por causa disto não é dado o verdadeiro valor aos museus.Falta o cultivo no hábito cultural de visitar os museus.

Após o final da pesquisa, os alunos realizaram uma visita guiada por Fernanda Rosete Lopes, bolsista do Palácio Cristo Rei, curso de História Liceciatura, da UFMA, onde puderam conhecer todo o acervo do Memorial Cristo Rei.

Revisão: Carol Veloso

Fonte: http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=11770

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Programação Proler 2011

II FORUM ESTADUAL DO LIVRO E LEITURA

·       XIII ENCONTRO ESTADUAL DO PROGRAMA NACIONAL DE INCENTIVO À LEITURA - PROLER

·       II SEMINÁRIO LEITORES EM REDE


PERÍODO: 23 a 25/11/2011
Local: Praia Mar Hotel

TEMA CENTRAL


“POLÍTICAS PÚBLICAS DE LEITURA: CAMINHOS DA CIDADANIA”

PROGRAMAÇÃO

1°. dia – 23/11/2011
9:00h - Abertura
09:30h - CONFERÊNCIA - “Políticas Públicas de Leitura: caminhos da cidadania” -  Maria Antonieta Cunha – Secretária Geral do PNLL
10:30h  - PERFORMANCE LITERÁRIA E MUSICAL – Paulinho Pedra Azul
11:00h – LANÇAMENTO DE LIVROS
                                             
Dia 24/11/2011
09:00h - MESA REDONDA: “A literatura como instrumento de formação de leitores na escola e na biblioteca”
à Volnei Cunha Canônica – Coordenador Nacional do Pólo de Leitura Prazer em Ler
à Joseane Maia - Professora, Doutora em Literatura – UEMA
Coordenação: Ceres Fernandes - Professora, Doutora, Membro da Academia Maranhense de Letras, Diretora do Centro de Criatividade Odylo Costa, filho. –

10:30h - INSTALAÇÃO DO FÓRUM PERMANENTE DO LIVRO E LEITURA DO MARANHÃO


Dia 25/11/2011
09:30h - MESA REDONDA“O brinquedo e a literatura infantil na formação do leitor”
à Ninfa Parreiras - Escritora, especialista em leitura e formação de leitores - RJ.
àMaria da Graça Monteiro Castro– Professora, Doutora - especialista em Literatura-UFGO
Coordenação: Edith Maria Batista Ferreira – Coordenadora Pedagógica e articuladora da Rede Leitora Ler pra Valer.

4. OFICINAS - 23, 24 e 25/11/2011 – Das 14 às 17:00horas

1 - A literatura infantil e juvenil na formação de leitores - Maria Eliane Rêgo
2 - As imagens e as letras na literatura infantil - Ninfa Parreiras
3 – Contadores de história: da literatura às imagens vivas – Lauande Aires
4 - A magia da leitura - Aline Carvalho do Nascimento
5 - Práticas de leitura na escola e na biblioteca - Cláudia Feres Leite
6 – O Espaço no processo de formação de leitores – Udineide Ribeiro da Silva

XI Encontro Humanistico: A diversidade da informação científica na internet.


No dia 18 de novembro, a partir das 13:30 na sala 110 do Centro Pedagógico Paulo Freire - Campus Bacanga será discutida a diversidade da informação cinentifica na internet sob a coordenação da bibliotecária da UFMA: Suênia Oliveira Mendes  e com a participação de  Elson Freire (Eastern Michigan University) e Eduardo Neves (DotLib).

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Palácio Cristo Rei dá início a nova etapa de organização do Acervo

Dando continuidade ao processo de organização do acervo,iniciou uma nova etapa desta ação com o acondicionamento provisório do acervo documental na Sala dos Fatos Memoráveis a fim de selecionar o acervo e proceder a organização sistemática.
O trabalho de sistematização iniciou no ultimo dia(9),tendo como membros participantes a bolsista do Curso de Biblioteconomia, Gabrielle Carvalho Frazão,A Administradora do Memorial, Clores Holanda Silva (Especialista em Gestão de Arquivo)e coordenadora da ação.
O processo de organização do acervo resulta de um projeto desenvolvido por Clores Holanda Silva em conjunto com os bolsistas: Anderson de Araújo Cabral, Adriana Cabral de Oliveira, Gabrielle Carvalho Frazão, Herbelly Carolyne Lima dos Santos (Curso de Biblioteconomia), Lúcia Nonata do Nascimento e Luís Paulo Silva (Curso de História Bacharelado).
A finalidade maior da ação se justifica pelo fato de que no Palácio Cristo Rei se encontravam documentos não só da Universidade, por isso era preciso que houvesse uma seleção dos documentos existentes, sendo que todos os documentos pertencentes à Universidade permaneceriam na Sala dos Fatos, e os outros seriam transferidos para a Sala da Reserva Técnica.
O procedimento compreende na separação de documentos, como ofícios, periódicos, revistas, correspondências oficiais; a identificação e nomeação de caixas com o tipo, ano e setor do documento; Os documentos que não são relacionados a UFMA, seguem para a Sala da Reserva Técnica.
Com esta organização o Memorial poderá oferecer muito mais estrutura não só para os arquivos, mas também para os pesquisadores, que costumam consultar a Sala dos Fatos Memoraveis com o objetivo de conseguir informações sobre a história da UFMA. 

Fonte: http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=11705

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Bibliotecária da UFMA e Técnico do Colun ganham Prêmio Emerald 2010/Capes/Lis



“Portal de periódicos da Capes e a acessibilidade como democratização informacional para deficientes visuais” é o nome do projeto de pesquisa ganhador do Prêmio Emerald 2010/Capes/Lis. O projeto é de autoria da bibliotecária e técnica em administração da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Suênia Oliveira Mendes, e de coautoria do técnico de transcrição em braile do Colégio Universitário (Colun), Mayk da Silva Machado.
“A ideia de elaboração do projeto surgiu quando, em visita ao Colun, conheci o Mayk, uma pessoa com perda total de visão. E, em conversa com ele, perguntei se conhecia e utilizava o Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), já que este possui um leitor de tela. Mayk respondeu que o conhecia, mas não usava. Combinamos, um dia, de acessá-lo e verificamos que esse leitor de tela é falho, ou seja, para ele, deficiente visual, o portal é inacessível”, explica Suênia Mendes, sobre a motivação para buscar alternativas para democratização e acessibilidade dos periódicos aos deficientes visuais.
A proposta do projeto foi justamente essa: tornar o portal da Capes democrático, universal, independentemente de quem possa utilizá-lo. “O Maik vai ser treinado para utilizar o portal e, após esse treinamento, é ele próprio quem irá treinar os deficientes visuais da UFMA e esses deficientes visuais que serão treinados farão o mesmo com os próximos que ingressarem na Universidade”. Tal perspectiva de difusão do conhecimento se destaca pelo fato de que uma pessoa com deficiência visual vai treinar outra com necessidades parecidas.
A entrega da premiação acontece amanhã (10), às 15h, em Brasília, pelos representantes da Capes.


Revisão: Carol Veloso

Fonte: http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=11681

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Eleições para o CRB13 esta disponivel on-line


O Sistema CFB/CRB implanta a partir de 2011 o voto eletrônico via Internet, visando agilizar o
processo de eleições nos Conselhos Regionais de Biblioteconomia no país. O critério para viabilizar
essa modalidade consiste no registro de chapa única concorrente, conforme consta na legislação
correspondente por meio das Resoluções CFB n. 88/08, 89/08 e 120/11.
Ante o exposto, encaminhamos a sua senha individual para votação, cujo período será de
07/11/2011, a partir das 8h, até as 21h do dia 17/11/2011. Durante esse período, o acesso às eleições
estará disponível em: http://201.33.25.93/spw/eleicaoCRB.htm.
Procedimentos para votação via internet:
Endereço: http://201.33.25.93/spw/eleicaoCRB.htm
Período: 07/11/2011, a partir das 8h, até as 21h do dia 17/11/2011
Ressaltamos que o exercício do voto é obrigatório e somente poderá ser praticado pelo
profissional que estiver em dia com o respectivo CRB onde estiver registrado. Àqueles que deixarem
de votar e não justificarem essa ausência será imputada multa conforme previsto na legislação
regulamentadora do processo eleitoral que encontra-se disponível em: www.cfb.org.br.

Assentamento Califórnia: Biblioteca Ecofuturo

Acampados ao lado da rodovia Belém-Brasília, conhecida como BR-010, o lavrador Francisco Pereira da Silva e seus companheiros resolveram, no dia 25 de março de 1996, tomar posse da Fazenda Califórnia, localizada entre os municípios de Açailândia e Imperatriz, na região sudoeste do Maranhão. O grupo era formado por 200 famílias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST). No momento da ocupação, a situação ficou tensa. Havia boatos de que 80 pistoleiros estavam de prontidão para expulsar à bala quem invadisse a fazenda. "Nos primeiros dias, o nervosismo foi grande. Tive muito medo", conta a lavradora Vilani de Moura Gomes. Mas para sorte de Vilani, de Francisco e dos outros trabalhadores rurais, não havia pistoleiro nenhum. E o dono da fazenda já tinha a intenção de negociar os 7 mil hectares de terra onde criava gado. Foi assim que, um ano depois da ocupação, o Assentamento Califórnia foi regularizado.
De posse da terra, os lavradores trataram de arregaçar as mangas, pegar na enxada e fazer o que mais sabem: "afagar a terra", como cantam Chico Buarque e Milton Nascimento na canção
Cio da Terra. Atualmente, os assentados - cerca de 1.300 pessoas - vivem da plantação de arroz, mandioca, milho, feijão e hortaliças; criam um pequeno rebanho de gado leiteiro; e produzem mel. "Foi com muita luta que a gente chegou até aqui", revela Vilani. E uma das lutas que mais marcou a história do assentamento aconteceu em 8 de março de 2008, no Dia Internacional da Mulher. 
Foi naquele sábado que as mulheres da comunidade realizaram um barulhento protesto contra a poluição provocada pelas carvoarias da região, queimando toras de eucalipto e interditando a BR-010. A manifestação foi noticiada com alarde pela imprensa nacional. Ao lado do assentamento, a Vale produzia carvão vegetal. E a fumaça expelida pelos fornos, de acordo com os assentados, estava causando danos à saúde das pessoas. "Por causa disso, nós não tínhamos uma relação muito agradável com a Vale", explica Francisco Andrade, um dos líderes do assentamento. "Depois do quebra, a situação melhorou bastante", completa Vilani.
A Vale deixou a região. E a Suzano Papel e Celulose chegou por lá com a difícil missão de apaziguar os ânimos e vencer a desconfiança dos lavradores.

Por meio do Instituto Ecofuturo, foi iniciada uma longa negociação de 11 meses para a implantação de uma biblioteca no assentamento - o primeiro projeto de aproximação entre a Suzano e a comunidade. "No começo, havia certa rejeição. A gente ficou com receio de estar vendendo a nossa dignidade. Mas a gente também não podia ter o orgulho de simplesmente negar o projeto da biblioteca. Dessa forma, fizemos um trabalho de convencimento junto às pessoas", conta Francisco Andrade.

Embora ainda haja preconceito em relação ao MST, como reconhece Andrade, a ideia de que o movimento é formado por arruaceiros é desfeita assim que se conhece um assentamento por dentro. "Somos muito organizados e exigentes. E, se precisar, vamos à luta mesmo", avisa Vilani. Andrade segue: "Nossa comunidade é bastante crítica e consciente do papel da educação. Foi uma trajetória difícil. Mas a Suzano e o Ecofuturo se empenharam muito para esse projeto vingar".


Ler é preciso

Fundado em 1999, o Instituto Ecofuturo é uma organização não governamental mantida pela Suzano. Desenvolve projetos que aliam educação e sustentabilidade, como os programas Ler é Preciso, que incentiva o hábito da leitura e da escrita, e Investimento Reciclável, que oferece apoio a cooperativas e associações de catadores de materiais recicláveis. A biblioteca instalada no Assentamento Califórnia integra o programa Ler é Preciso que, em dez anos, já inaugurou 88 bibliotecas em 11 Estados brasileiros, em uma ação conjunta entre o poder público, as comunidades envolvidas e a iniciativa privada.
"Quanto mais entrelaçarmos as forças no compartilhamento de ideias e experiências práticas, mais contribuiremos para a consolidação de uma política pública de leitura efetiva no Brasil, essencial para o desenvolvimento das competências de ler e escrever, base para o acesso ao conhecimento e à cidadania. A proposta do Ecofuturo é trabalhar junto. Ao implantar bibliotecas em escolas, pretendemos contribuir com as prefeituras para assegurar a exequibilidade da Lei Federal 12.244, de 2010, que determina que todas as escolas do País devem ter bibliotecas até 2020", explica Christine Fontelles, diretora de Educação e Cultura do Instituto. Segundo ela, é vital oferecer literatura às pessoas desde a infância, e um profundo desserviço à vida continuar batendo na tecla de que o brasileiro não gosta de ler. "O que a gente não tem é a cultura da leitura", enfatiza.

A biblioteca foi instalada na Escola Municipal Antônio de Assis, em um espaço construído pela prefeitura de Açailândia. Mas não basta ter uma sala de leitura. É preciso motivar a comunidade a ler e profissionalizar o atendimento. Por isso, o Ecofuturo promoveu cursos de auxiliar de biblioteca e de promotor de leitura para 30 integrantes do assentamento, incluindo professores. Duas dessas pessoas foram contratadas pela Secretaria Municipal de Educação para trabalhar na biblioteca. "Foi exigência nossa que esses profissionais fossem do quadro da escola e, de preferência, que morassem na comunidade", salienta Andrade. O instituto também ministrou uma oficina de gestão pública aos representantes da prefeitura e às lideranças da comunidade, explicando os mecanismos existentes que possibilitam a solicitação de recursos federais para garantir o funcionamento permanente da biblioteca.
Os livros foram selecionados pela Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ) e doados pelo Instituto Ecofuturo. São mil títulos de literatura dos mais diversos gêneros. Todos novos. "Só a presença física dos livros não adianta. Para atrair as crianças, os livros precisam ser bacanas, bonitos, novos. A parte estética é muito importante", ensina Fontelles.
Do total de obras, 30% foram escolhidos pela comunidade. "Discutimos bastante e tentamos contemplar um pouco da nossa identidade. Nossa escola é uma escola camponesa, com caráter de movimento social. Assim, escolhemos livros sobre educação no campo, agricultura, agroecologia e clássicos de autores com pensamento mais socialista, como O Capital, de Marx", explica Andrade, acrescentando que no assentamento o índice de analfabetismo não chega a 3%, bem abaixo da média nacional. No Brasil, o percentual de indivíduos acima de 15 anos que são analfabetos é de 9,6%, segundo dados da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), órgão da ONU.

 
O valor do livro
O Assentamento Califórnia está situado a 14 km da área urbana de Açailândia, onde ficava a biblioteca mais próxima. Essa distância, conta Andrade, era o principal entrave para o contato das pessoas com a literatura. Coordenador pedagógico da escola da comunidade, formado em pedagogia da terra pela Universidade Federal do Pará e militante ativo do MST, Francisco Andrade foi o mestre de cerimônia da inauguração da biblioteca.
Sob o calor típico do sudoeste do Maranhão, com temperatura próxima dos 40 °C, a inauguração reuniu os moradores no pátio da escola, com direito a banda de música e declamação de poesia, e contou com a presença de representantes do poder público local. Foi uma grande festa, onde os assentados comemoravam com alegria a conquista da biblioteca.
Sobre o chão de terra, um pano foi estendido. E sobre o pano, alguns livros expostos. As crianças, as mais entusiasmadas com a celebração, logo se apropriaram das obras, tateando, folheando, descobrindo novos mundos em questão de segundos. "É comum, nesses lugares que temos ido, encontrar um acolhimento, uma percepção do valor do livro", explica Christine Fontelles. E nada melhor que a realização de uma festa para mostrar às crianças o quanto a leitura é importante para a sua formação, fazê-las compreender que biblioteca não é nenhum bicho-papão. "É preocupante que ainda não haja no Brasil um pensamento enraizado de que a leitura é a base para qualquer conhecimento", lamenta Fontelles.
E para quem ainda tem alguma dúvida da essencialidade de uma biblioteca bem equipada no espaço escolar, um estudo do Ecofuturo, coordenado pelo pesquisador Ricardo Paes de Barros, revelou que o programa Ler é Preciso potencializou em 156% o progresso natural da taxa de aprovação escolar e diminuiu em 46% a taxa de abandono em escolas próximas às bibliotecas implantadas pelo programa. A ideia da comunidade é ampliar ainda mais o acesso com a iniciativa Arca das Letras, realizando rodas de leitura fora do espaço da biblioteca com o intuito de facilitar o convívio dos lavradores com os livros.
No ano em que completa 15 anos de ocupação, o Assentamento Califórnia ganhou a sua primeira biblioteca. E os moradores do local escolheram batizá-la com o nome de um dos fundadores da comunidade: Francisco Pereira da Silva, o lavrador que, ao lado dos seus companheiros, tomou posse daquelas terras mesmo sob o risco de ser recebido com balas de espingarda. A viúva do lavrador, Maria do Socorro Laurinda Silva, 77, não escondeu a emoção com a homenagem. "Tô me sentindo feliz. Ele deixou o rastro dele aqui, nesta terra que ele tanto sofreu para conquistar." Francisco Andrade finaliza: "É justo a gente ter uma escola de qualidade. É justo a gente ter uma biblioteca com acervo rico. É justo você ter um livro para o seu filho ler".
Sim, da mesma forma que é justo que a terra que um dia pertenceu a um único dono hoje seja responsável pela sobrevivência digna de dezenas de famílias. Se "ler é preciso", como bem ressalta o programa do Instituto Ecofuturo, "Fecundar o chão/e se fartar de pão" também é.

Texto publicado originalmente na revista Brasileiros (Edição 50)
Fonte: http://oidiotafeliz.blogspot.com/2011/11/palavra-plantada.html

Inscrições para o Fórum Estadual do Livro e da Leitura já estão abertas

São Luís será sede do II Fórum Estadual do Livro e da Leitura que terá na programação a realização da 13ª edição do Encontro Estadual do Programa Nacional de Incentivo à Leitura (Proler), e da II Semana de Leitores em Rede. O evento, que acontece no período de 23 a 25, no Hotel Praia Mar, na Ponta d’Areia, é uma promoção da Secretaria de Estado de Cultura, realizado pela Biblioteca Pública Benedito Leite (BPBL), em parceria com a Rede Leitora Ler pra Valer e Sociedade de Amigos da BPBL.
Professores, bibliotecários, técnicos em biblioteconomia e em leitura, estudantes e profissionais de áreas afins, de todo o estado que desejam participar do evento já podem confirmar presença com inscrição na secretaria da Biblioteca Pública Benedito Leite (BPBL), na Rua do Egito, Centro de São Luís. Os interessados também podem obter informações pelos telefones 3218-9960 e 3218-9961, de segunda a sexta-feiras, no horário das 8h às 12h e das 14 às 18h.
O Encontro do Proler reunirá 500 profissionais da área de leitura e afins que durante três dias participarão de oficinas, mesas redondas, conferências, debates, revisões, políticas de leitura, dentro da temática do livro e da leitura.
O Proler terá como convidados a secretária geral da Secretaria Nacional de Políticas Públicas do Livro e Leitura, Maria Antonieta Cunha; a escritora e especialista em leitura Ninfa Parreiras; a professora e coordenadora da Editora da UFGO, Dra. Graça Monteiro; a coordenador do programa Prazer em Ler do Instituo C&A, Valney Cunha; a escritora em Literatura da Ufma, Dra. Josiane Maia; e o cantor e compositor mineiro Paulinho Pedra Azul que fará performances literária e musical, na abertura do evento.

Fonte: http://www.jornalpequeno.com.br/2011/11/4/inscricoes-para-o-forum-estadual-do-livro-e-da-leitura-ja-estao-abertas-175927.htm